21.7.15

ARTEX


A ARTEX, uma das mais tradicionais marcas do segmento de cama, mesa e banho do mercado brasileiro, tem como principal missão deixar cada ambiente da casa aconchegante e sofisticada através de produtos de alta qualidade. Valorizando as estampas, as cores e a variedade, a marca oferece muito mais que uma simples roupa de cama ou uma toalha de mesa, mas produtos que realmente decorem a casa com estilo e sofisticação. 

A história 
Tudo começou com o empresário Theophilo Bernardo Zadrozny, um filho de pais alemães que tinha o objetivo de ingressar no mercado têxtil. Como não tinha grandes experiências nesse setor, ele propôs uma sociedade ao austríaco Otto Huber, um hábil tecelão que trabalhava na Empresa Industrial Garcia. No dia 23 de maio de 1936 os dois fundaram na cidade catarinense de Blumenau a Fábrica de Artefatos Têxteis Artex S/A. Também participaram dos preparativos para a montagem da nova empresa, Max Rudolf Wuensch e Albert Hiemisch. A nova empresa iniciou suas operações com apenas 18 funcionários e 10 teares importados da Alemanha, produzindo inicialmente toalhas de mesa em tecido liso adamascado. Em seu primeiro ano de vida, a empresa vendia seus produtos exclusivamente para atacadistas. Mas devido aos esforços pessoais de Theophilo, no segundo ano a ARTEX passou a vender seus produtos diretamente para clientes varejistas nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre.


Em 1949 a ARTEX comprou a Fiação Badenfurt com o objetivo de alcançar a independência quanto á obtenção de fios de algodão, matéria-prima essencial para seus produtos finais. A empresa deu seus primeiros passos rumo ao mercado externo a partir de 1957, quando nomeou representantes em Hamburgo, na Alemanha, e no ano seguinte em Nova York. O ano de 1974 foi extremamente importante para a ARTEX. Isto porque ocorreu a incorporação da centenária Empresa Industrial Garcia. Esta aquisição possibilitou que a ARTEX ampliasse consideravelmente sua linha de produtos, passando a produzir, além de artigos de banho, itens de cama e mesa, e tecidos lisos. Apesar dessa diversificação de produtos, nos anos seguintes a ARTEX ficaria conhecida mesmo entre os consumidores brasileiros por suas felpudas toalhas de banho.


Após anos de brigas entre os herdeiros da família Zadrosny, que quase levaram a empresa à bancarrota, em setembro de 1993 a ARTEX foi adquirida pelo Banco Garantia, do empresário Jorge Paulo Lemann. Em outubro de 1994, a ARTEX comprou as divisões de lar da Santista, no Brasil, e da Grafa, na Argentina, duas empresas então controladas pelo grupo Bunge. Com isso, juntou o que havia de mais forte em toalhas com o que havia de mais forte em lençóis. Mesmo sob a administração do competente Banco Garantia, a ARTEX aumentou suas dívidas, perdeu participação de mercado para grandes concorrentes, assistiu ao sucateou de seu parque industrial, aumentou seu quadro de funcionários e tomou decisões erradas em sua estratégia. Com isso os prejuízos só aumentaram. Isso culminou, em 1998, com a venda da ARTEX para a Coteminas, empresa fundada em 1967 pelo empresário e ex-vice-presidente do Brasil José Alencar. Durante a década seguinte, a Coteminas não poupou investimentos em novas tecnologias e modernização de seu parque fabril, assim como em pesquisa em tendências de moda, tornando a ARTEX, uma das mais sólidas e conhecidas marcas no mercado de cama, mesa e banho.


Em 2011 a marca ARTEX resolveu ingressar no segmento de varejo e inaugurou sua primeira loja própria. Até então, os produtos ARTEX eram comercializados exclusivamente em canais multimarcas. Nos anos seguintes, através do sistema de franquias, foram inauguradas unidades em importantes cidades do país. A proposta da marca em suas lojas é o Home Life Style, inspirar, orientar e satisfazer todos aqueles que procuram pelo melhor em cama, mesa, banho e decoração. Cada loja ARTEX possui um ambiente colorido e aconchegante que visa proporcionar uma agradável experiência de compra para seus consumidores A exposição dos produtos e móveis, além de organizar tudo de forma que facilite a visualização e acesso, oferece mais praticidade e prazer para quem compra.


Com a inauguração das lojas próprias a ARTEX também aumentou sua linha de produtos: Cama (englobam jogos completos, lençóis, fronhas avulsas, edredons, mantas decorativas, travesseiros, almofadas e capas de almofada), Banho (composta por toalhas de rosto e banho, além de roupões que oferecem conforto, maciez, toque suave e excelente absorção com peças com gramaturas que variam entre 420 a 660 gramas de algodão por metro quadrado), Mesa (toalhas, jogos americanos e acessórios), Decoração (acessórios para decoração de todos os ambientes da casa como porta-retratos, velas, bandejas, caixas e almofadas) e Aromas (oferece aromatizadores de ambiente, água de passar, sabonetes líquido e sachês perfumados que ajudam a criar uma atmosfera de conforto e de renovação em qualquer ambiente). Atualmente a ARTEX lança coleções exclusivas a cada estação. Tudo com estampas originais e cores únicas atualizadas com as mais atuais tendências da moda.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por uma grande remodelação em sua história. Originalmente identificado por um cavalo-marinho montado por uma moça de maiô (que evoluiu ao longo dos tempos), há alguns anos atrás o logotipo ganhou um visual moderno e sofisticado, adotando a cor ocre e uma tipografia de letra refinada.


Os slogans 
Eu quero, eu posso. (lojas) 
Viver com arte. 
Arte em cama, mesa e banho. 
Toalhas feitas com arte. 
Enxugam melhor, duram mais.


Dados corporativos 
● Origem: Brasil 
● Fundação: 23 de maio de 1936 
● Fundador: Theophilo Bernardo Zadrozny e Otto Huber 
● Sede mundial: Montes Claros, Minas Gerais, Brasil 
● Proprietário da marca: Coteminas S.A. 
● Capital aberto: Não 
● CEO: Josué Gomes da Silva 
● Faturamento: Não divulgado 
● Lucro: Não divulgado 
● Lojas: 65 
● Presença global: 10 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Segmento: Têxtil 
● Principais produtos: Toalhas de banho, lençóis, edredons e toalhas de mesa 
● Concorrentes diretos: Teka, Buddemeyer, Karsten, Appel, Zelo e Casa Almeida 
● Ícones: As toalhas felpudas 
● Slogan: Eu quero, eu posso. 
● Website: www.artex.com.br 

A marca no mundo 
Atualmente a ARTEX vende produtos de cama, mesa, banho e decoração através de 65 lojas próprias posicionadas estrategicamente nas principais capitais do país e em mais de 8.000 pontos espalhados pelo Brasil. A marca também exporta seus produtos para aproximadamente 10 países ao redor do mundo. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Exame, Isto é Dinheiro e Época Negócios), jornais (Valor Econômico e Meio Mensagem), sites especializados em Marketing e Branding (Mundo do Marketing) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 21/7/2015

13.7.15

COPA AIRLINES


A companhia aérea panamenha COPA AIRLINES voa para cada cantinho da América Latina e do Caribe, transportando seus passageiros com conforto, segurança, eficiência e pontualidade. Voos sem atrasos, bom nível de entretenimento, serviço de bordo com comida gostosa, poltronas confortáveis e comissários atenciosos. Serviços de primeira com tarifas competitivas. Bem-vindo a uma das aeronaves da COPA AIRLINES. 

A história 
Tudo começou quando um proeminente grupo de investidores panamenhos e a companhia aérea americana Pan American World Airways (mais conhecida como PAN AM), que além de capital (assumiu 32% das ações) ainda prestou suporte técnico, fundaram no dia 21 de junho de 1944 a Compañía Panameña de Aviación, que ficaria conhecida apenas como COPA. A nova companhia aérea só entrou em operação no dia 15 de agosto de 1947 quando passou a realizar voos para três cidades panamenhas com uma pequena frota de aeronaves Douglas DC-3. Em 1966 já possuía três frequências semanais para a cidade de San José, na Costa Rica, seu primeiro destino internacional. Pouco depois, em 1969, com a incorporação de um avião AVRO 748 à sua frota foi possível voar para cidades como Kingston na Jamaica, Manágua na Nicarágua e Barranquilla na Colômbia. Na década seguinte, a COPA AIRLINES incorporou novos destinos as suas rotas como as cidades colombianas de Medelín e Cartagena, além de San Salvador e Guatemala.


Em 1980 a companhia aérea encerrou os vôos domésticos para se dedicar exclusivamente as rotas para o mercado internacional. Nesse mesmo ano incorporou uma aeronave Boeing 737-100 à sua frota. Em 1981, a companhia aérea inovou ao criar o programa de milhagem Mileageplus, um dos primeiros do setor da aviação comercial no mundo. Durante essa década ampliou seus destinos internacionais para as cidades de Porto Príncipe (Haiti), Santo Domingo (República Dominicana), San Juan (Porto Rico) e Miami (Estados Unidos). Essa década também foi marcada pela acirrada competição com a Air Panama, uma companhia melhor conhecida do público internacional na época, mas que hoje se resume a uma pequena companhia aérea regional. Em 1992, a empresa iniciou as operações do primeiro centro de conexões de voos dentro da América Latina, com sede na Cidade do Panamá, criando desta forma o Hub das Américas no Aeroporto Internacional de Tocumen. Com isso, foram incorporados novos destinos: Caracas, Cidade do México, Santiago, Cali, Bogotá, Quito, Guayaquil, Lima, Buenos Aires e Havana.


O ano de 1988 foi decisivo para a COPA AIRLINES: a companhia aérea panamenha se associou à Continental Airlines em uma aliança operacional que veio a se tornar, em 1998, uma sociedade na qual a empresa americana adquiriu 49% do controle acionário da COPA. No ano seguinte a companhia aérea aumentou sua participação na empresa panamenha para 51% e adotou uma nova imagem corporativa, mudando o nome para COPA AIRLINES. Também em 1999 teve início o processo de renovação e expansão da frota, então composta por quase 15 aeronaves, quando foram introduzidos os primeiros Boeing 737-700, sendo a primeira companhia das Américas a operar o modelo com winglets. A partir de 2000 a COPA AIRLINES iniciou uma nova e agressiva expansão nas Américas, passando a atender cidades como Los Angeles, Cancun, Orlando e Nova York. Foi também nesse período que a companhia aérea chegou ao Brasil com a ligação Cidade do Panamá-São Paulo.


No ano de 2005, marcado pela abertura de seu capital na Bolsa de Valores de Nova York, tornando-se a terceira companhia aérea latino-americana a fazer isso, a empresa recebeu seu primeiro Embraer 190, uma aeronave moderna e eficiente. No segundo semestre desse ano, a empresa adquiriu a segunda maior companhia aérea colombiana, a AeroRepublica (desde 2010 renomeada como COPA AIRLINES COLOMBIA), consolidando assim ainda mais sua atuação na América Latina. Em 2008, a Continental vendeu os restantes de suas ações e encerrou definitivamente os negócios com a companhia aérea panamenha.


No mês de junho de 2012, a COPA AIRLINES passou a fazer parte da Star Alliance, maior aliança de companhias aéreas do mundo, ganhando assim ainda mais prestígio internacional. No início de 2015, a COPA AIRLINES apresentou seu novo programa de fidelidade, o ConnectMiles, desenvolvido para fortalecer as relações com os viajantes frequentes e proporcionar uma atenção exclusiva. Em abril de 2015, a COPA AIRLINES anunciou uma parceria com a equipe do São Paulo Futebol Clube, cujo objetivo é aumentar o reconhecimento da marca entre os brasileiros. Além disso, anunciou um pedido de 61 aeronaves Boeing 737 MAX 8 e 9, no valor total de US$ 6.6 bilhões.


Nos últimos anos a COPA AIRLINES desenvolveu um modelo de voos de longa distância apenas com aviões modernos e pequenos (como Boeing 737-800 e Embraer 190), o que permitiu a redução de custos e tarifas. Com um serviço modesto e a baixa tarifa tornou-se uma boa opção custo benefício para diversos destinos no continente americano. Apesar de oferecer tarifas a preços competitivos, a COPA AIRLINES tem serviços excelentes, apesar de modestos. O entretenimento à bordo fica por conta de 12 canais de áudio individual e sistema de vídeo overhead. Os canais de áudio relacionados aos filmes estão disponíveis em espanhol, português e inglês. A companhia aérea também oferece opção de cardápios especiais para diabéticos, vegetarianos, crianças além de pratos étnicos. Esse serviço pode ser solicitado para qualquer classe, com antecedência mínima de 24 horas.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por inúmeras e acentuadas alterações ao longo de sua história. Na década de 1970 o logotipo adotou um visual baseado na antiga companhia aérea PAN AM, da qual sempre teve uma ligação histórica. Na década seguinte, nova mudança: o logotipo adotou a cor vermelha, com um pequeno avião abaixo do nome COPA.


Em 1999 a marca apresentou uma nova identidade visual, completamente baseada no logotipo da Continental Airlines, que na época era sua maior acionista. Foi a primeira vez que a companhia aérea utilizou o termo “airlines” em seu logotipo. A última alteração ocorreu em 2012 quando foi adotada uma nova tipografia de letra, além da eliminação dos detalhes dourados em seu símbolo.


Os slogans 
Conectados todo es posible. (espanhol) 
Conectados tudo é possível. (português) 
Connected, everything is possible. (inglês) 
Volamos cada dia mejor. 
Passion for service. (Copa Colombia)


Dados corporativos 
● Origem: Panamá 
● Fundação: 21 de junho de 1944 
● Fundador: Empresários panamenhos 
● Sede mundial: Cidade do Panamá, Panamá 
● Proprietário da marca: Copa Holdings, S.A. 
● Capital aberto: Sim (2005) 
● Chairman: Stanley Motta 
● CEO: Pedro Heilbron 
● Faturamento: US$ 2.7 bilhões (2014) 
● Lucro: US$ 361.7 milhões (2014) 
● Valor de mercado: US$ 3.8 bilhões (julho/2015) 
● Frota: 98 aeronaves 
● Passageiros transportados: 11.6 milhões (2014) 
● Destinos: 74 
● Presença global: 30 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 9.500 
● Segmento: Aviação 
● Principais produtos: Aviação comercial e cargueira 
● Concorrentes diretos: TAM, LAN, Avianca, American Airlines, United Airlines e Delta Airlines 
● Slogan: Connected, everything is possible. 
● Website: www.copaair.com 

A marca no mundo 
Atualmente a COPA AIRLINES permite aos passageiros realizarem conexões rápidas e convenientes a 74 destinos em 30 países na América do Norte, América Central, América do Sul e Caribe, através de uma frota de 98 modernas aeronaves. A companhia aérea, que opera mais de 350 pousos e decolagens por dia, tem como principal hub o Aeroporto Internacional de Tocumen (trata-se do centro de conexões com mais destinos e voos internacionais do que qualquer outro na América Latina), emprega quase 10 mil pessoas, transportou mais de 11.6 milhões de passageiros e alcançou faturamento de US$ 2.7 bilhões em 2014. A empresa tem como maiores mercados o Panamá, os Estados Unidos, a Colômbia e o Brasil, onde a companhia aérea mantém saídas de Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Manaus, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo. 

Você sabia? 
Pelos últimos dois anos consecutivos (2013/2014), a FlightStats reconheceu a COPA AIRLINES como a “Melhor Companhia Aérea na América Latina” por seu desempenho em pontualidade e qualidade de serviço. A COPA também foi, em 2013, vencedora de dois prêmios Skytrax como “Melhor Companhia Aérea da América Central e Caribe” e “Companhia Aérea com Melhor Equipe de Bordo e de Aeroportos da América Central e do Caribe”. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, BusinessWeek, Exame e Isto é Dinheiro), jornais (Valor Econômico), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 13/7/2015

6.7.15

CASINO


O CASINO, um dos maiores grupos varejistas do mundo, tem como missão oferecer aos clientes uma enorme variedade de produtos de alta qualidade, desde alimentos, cosméticos até roupas, através de vários formatos de lojas. Tudo para que a experiência de compra de milhões de pessoas seja produtiva, prática e econômica. 

A história 
Tudo começou no ano de 1892 quando Geoffroy Guichard se tornou o único proprietário de um pequeno empório situado no antigo e charmoso Casino Lyrique na bela cidade francesa de Saint-Étienne, que deu origem ao nome CASINO. Com a ajuda de sua mulher, Antonia Perrachon, durante muito tempo, a loja foi o principal estabelecimento do grupo. Com a criação da empresa, surgiu também à necessidade de organizar as operações e um depósito foi construído na cidade. Já em 1898, com os negócios prosperando, Guichard inaugurou, no dia 25 de junho, uma segunda loja em Veauche, região de Loire. Pouco depois, em 2 de agosto, foi criada oficialmente a empresa Société des Magasins du Casino et Établissements Économiques d’Alimentation. Em 1901, devido à escassez de fornecedores de qualidade, foram lançados os primeiros produtos com a marca própria CASINO, como pães, cafés, óleos, licores, chocolates e produtos de limpeza. Nascia assim o conceito de “marca de supermercado”.


No ano seguinte, como forma de fidelizar os clientes, foi criada uma estratégia de oferta de brindes na compra de certos produtos. Pouco depois, em 1906, começaram a operar as primeiras fábricas da empresa, instaladas na região de Loire, para abastecer as lojas CASINO. Em 1914 já eram 460 lojas em operação. Pouco depois, em 1916, de forma ousada, os funcionários da empresa passaram a receber salário-família e participação nos lucros. No período do pós-guerra, em 1925, a empresa adquiriu a rede L’Épargne, o que lhe deu acesso a 300 lojas na região da cidade de Toulouse. Pouco depois, em 1927, inaugurou seu primeiro laboratório de controle de qualidade. No final desta década, quando Geoffroy Guichard se aposentou, o grupo CASINO tinha 20 fábricas, nove centros de distribuição, 998 lojas próprias e outras 505 afiliadas. Pouco antes de começar a Segunda Guerra Mundial, o CASINO tinha 1.670 lojas próprias espalhadas pelo território francês. Depois de atravessar um período de grandes dificuldades, em virtude do conflito mundial, no ano de 1948 foi inaugurado o primeiro supermercado com sistema self-service em Saint-Étienne. Um ano mais tarde, o CASINO foi responsável pela implantação de um dos primeiros sistemas logísticos de refrigeração para o setor de varejo em suas lojas.


A década seguinte começa com uma novidade: a entrega a domicílio de produtos frescos. No final desta década, em 1959, o CASINO foi o primeiro varejista a indicar um prazo de validade para o consumo de seus produtos. Esse princípio só se tornou obrigatório na França em 1984. Já em 1960 inaugurou sua primeira loja na cidade de Grenoble. Em 1970 a empresa inaugurou seu primeiro hipermercado na cidade de Marselha. A internacionalização da empresa começou em 1976 com a instalação de uma subsidiária nos Estados Unidos. Em 1984 a rede inovou mais uma vez ao introduzir a “garantia de satisfação ou o dobro do dinheiro de volta” para mais de 1.500 produtos sob a marca CASINO. Depois de inaugurar várias lojas pela França nos anos seguintes, a década de 1990 começou com a aquisição da empresa de varejo La Ruche Méridionale, que operava diversos supermercados e hipermercados.


No ano seguinte ocorreu à fusão do Grupo Casino, na época dirigido por Antoine Guichard (neto do fundador), com o Grupo Rallye, pertencente a Jean-Charles Naouri. Surgia assim um gigante no setor de varejo de alimentos na Europa. E também, era o crescimento de um dos empresários mais agressivos e polêmicos do segmento: Jean-Charles Naouri. Já em 1997 ele mostrou suas garras, após quatro meses de batalhas na Bolsa de Valores, juntamente com a família Guichard e os funcionários do Grupo, ao conseguir vencer uma oferta hostil de aquisição lançada pelo varejista e concorrente Promodès. No ano seguinte, Naouri se tornou acionista majoritário do CASINO. A partir de então, o desenvolvimento da empresa ganhou enorme impulso. Extremamente ousado ele comandou aquisição das redes Monoprix (50% do capital), Franprix, Leader Price e Cdiscount, aumentado enormemente o número de lojas e ingressando no comércio online. Além disso, ingressou em novos mercados como Uruguai e Argentina.


Em 2001, teve início uma forte expansão da empresa para mercados internacionais. Pouco depois, em 2005, a empresa consolidou sua presença no Brasil (onde era sócia do Grupo Pão de Açúcar desde 1999, e incrementou sua participação para 50% por US$ 900 milhões), na Colômbia, na Tailândia e no Vietnã. A sede de expansão não parou nos anos seguintes. Em 2010 adquiriu ativos da rival Carrefour na Tailândia. Após uma feroz batalha com o empresário Abílio Diniz, em julho de 2012, o CASINO assumiu definitivamente o controle do GPA (Grupo Pão de Açúcar) no Brasil, com uma rede multiformatos e multibandeiras formada por mais de 2.100 lojas, atualmente. A tomada de controle do Grupo Pão de Açúcar conferiu uma nova dimensão ao CASINO, posicionando-o entre os maiores varejistas globais. Foi também em 2012, que a empresa introduziu sua marca própria de produtos CASINO em grandes varejistas na Europa e Ásia.


A empresa possui três marcas próprias: Monoprix, Leader Price e Casino (presente no Brasil com diversos produtos alimentícios), esta última líder em participação no mercado francês. Atualmente na França, seu maior mercado, a empresa atua através de diversos formatos de lojas e bandeiras: Casino Supermarchés (rede de supermercados implantados em regiões urbanas ou rurais); Monoprix (rede de lojas implantadas em centros urbanos que oferece produtos alimentícios, de higiene, cosméticos, bazar e roupas); Franprix (lojas urbanas de bairro); Petit Casino, SPAR e Vival (minimercados e lojas de conveniência); Leader Price (lojas de descontos); Géant Casino (hipermercados); Naturalia (lojas de produtos naturais e orgânicos); Hyper Casino (unidades entre lojas de bairro e hipermercados); e Cdiscount (comércio online). A empresa é líder do mercado francês no segmento de mercados de bairro, com 6.500 estabelecimentos espalhados pelo país. Já no Brasil, o CASINO é proprietário do Pão de Açúcar, Extra, Assaí Atacadista e Via Varejo (Ponto Frio e Casas Bahia).


O gênio por trás da marca 
Nascido no dia 8 de março de 1949 na cidade de Bône (atual Annaba), na Argélia, Jean-Charles Henri Naouri, primogênito de uma professora de inglês e um médico francês, tem doutorado em matemática e estudou na renomada École Normale Supérieure (ciências) e na Universidade de Harvard (administração). Iniciou sua carreira na Direção do Tesouro francês, alcançando o título de Inspetor de Finanças, cargo de alto escalão do governo do país. Em 1987, entrou para o banco Rothschild et Cie como sócio-gerente. Paralelamente, fundou a empresa de investimentos Euris, que adquiria participações minoritárias em companhias industriais. Em pouco tempo, a empresa aumentou consideravelmente sua capacidade de investimento. No início dos anos de 1990, Jean-Charles Naouri decidiu reorientar sua estratégia e dar um suporte mais ativo ao desenvolvimento das empresas nas quais investia. Foi assim que, em 1991, adquiriu o varejista Rallye, que atravessava sérios problemas financeiros. Vislumbrando o potencial do setor de varejo e da aliança entre as duas empresas, ele levou a Rallye ao Grupo Casino, do qual se tornou, em 1992, o primeiro acionista. Até 1997, graças a essa operação, o CASINO registrou crescimento espetacular, tanto na França como em outros países. Em cinco anos, o volume de negócios do grupo foi multiplicado por dois.


Ele decidiu apostar, a partir do final dos anos de 1990, no segmento em que a empresa tinha dado seus primeiros passos: as lojas de bairro. Para implementar essa estratégia, adquiriu participações significativas em redes locais e lojas de descontos com alto potencial como Franprix, Leader Price, Monoprix e o site de vendas online Cdiscount. Nos anos seguintes, ele adaptou a estratégia da empresa à evolução do mercado - que mostrava hábitos de consumo mais maduros e complexos - e consolidou a presença em países que apresentavam boas possibilidades de crescimento. Na França, conquistou um posicionamento sólido, graças ao modelo multiformatos de proximidade, e forte presença na internet com a Cdiscount, líder de vendas online no país. No mercado externo, investiu no ingresso de novos mercados com perspectivas favoráveis de crescimento econômico, conquistando a liderança no setor de varejo alimentar na América do Sul (Brasil e Colômbia), no Oceano Índico, no Vietnã, bem como o segundo lugar na Tailândia. Na vida pessoal, ele é extremamente discreto. Tanto que quando nasceu seu filho do segundo casamento foi trabalhar normalmente. Só informou a equipe do nascimento da criança 15 dias depois. É visto com frequência com o seu indefectível terno preto. Não gosta de piadas e sorri com parcimônia. Seu império na França foi construído à base de negociações com empresas de origem familiar e muita polêmica. Alguns de seus sócios ficaram para trás.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por algumas alterações ao longo dos anos. Durante décadas a marca utilizou um tradicional logotipo, criado em 1931 e que continha o “Bonhomme Casino”, um boneco criado pelo artista Adolphe Jean-Marie Moron, que representava de forma estilizada a figura de um gerente de supermercado segurando uma balança em uma mão e um globo terrestre na outra. Esse logotipo foi utilizado para divulgar tanto a marca como seus produtos, um símbolo perfeito de conveniência local que traduzia o slogan da empresa na época: “Eu estou em todos os lugares, eu vendo de tudo”. Em 2006 a empresa escolheu CASINO como nome do grupo e uma nova identidade visual foi adotada. Pouco depois, uma nova mudança: a adoção da cor verde e uma tipografia de letra levemente modificada.


Como algumas de suas bandeiras também carregam o nome CASINO, a empresa que tem o mesmo nome (identidade corporativa, primeira, à esquerda) utiliza logotipos diferenciados para essas marcas. Mas todas seguem a arquitetura da marca-mãe.


Os slogans 
Nourrir um Monde de Diversité. (francês) 
Nourishing a world of diversity. (inglês) 
Alimentar um mundo de diversidade. (português) 
I am everywhere, I sell everything. (1931)


Dados corporativos 
● Origem: França 
● Fundação: 2 de agosto de 1898 
● Fundador: Geoffroy Guichard 
● Sede mundial: Saint-Étienne, França 
● Proprietário da marca: Casino Guichard Perrachon S.A. 
● Capital aberto: Sim 
● CEO & Presidente: Jean-Charles Naouri 
● Faturamento: €48.5 bilhões (2014) 
● Lucro: €232 milhões (2014) 
● Valor de mercado: €7.4 bilhões (julho/2015) 
● Lojas: 14.574 
● Presença global: 8 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 336.000 
● Segmento: Varejo (alimentos) 
● Principais produtos: Lojas de conveniências, supermercados, hipermercados e comércio online 
● Concorrentes diretos: Carrefour, Intermarché, E. Leclerc, Auchan e Aldi 
● Slogan: Nourrir um Monde de Diversité. 
● Website: www.groupe-casino.fr 

A marca no mundo 
Atualmente o CASINO, um dos maiores varejistas do mundo, tem mais de 14.500 lojas (em diversos formatos como hipermercados, supermercados, lojas de descontos e lojas de conveniência) em 8 países ao redor do mundo como França, Colômbia, Brasil Argentina, Uruguai, Tailândia, entre outros. A empresa também opera lojas afiliadas em mais de 10 países africanos e no Oriente Médio. Com boa parte de suas lojas localizadas na França (aproximadamente 9.500 unidades), o CASINO alcançou em 2014 um faturamento superior a €48 bilhões (58% vindo do exterior). Na França, um em cada dois usuários de internet é cliente da Cdiscount, filial do Grupo Casino, que se tornou, em poucos anos, número 1 do segmento de vendas online no país e sexta maior do mundo. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 6/7/2015

29.6.15

TRESEMMÉ


Desde sua origem há mais de 60 anos, a marca TRESemmé é movida por uma simples verdade: todas as mulheres merecem ficar lindas sem gastar uma fortuna. Inspirados nos salões de beleza e também usados por cabeleireiros renomados, os produtos da marca foram desenvolvidos para ajudar qualquer mulher a criar o seu próprio estilo e a manter a sensação de que acabou de sair do salão. 

A história 
Tudo começou no mês de junho de 1947 quando a renomada cabeleireira e especialista em cuidados capilares Edna L. Emmé desenvolveu uma eficiente linha de produtos, composta por xampus, condicionadores e cremes para tratamento, que auxiliassem os profissionais da área nos cuidados com os cabelos. Os produtos foram então produzidos pela empresa Godefroy Manufacturing Company, da cidade de St. Louis, estado do Missouri, da qual ela era funcionária, e comercializados inicialmente apenas para os salões de cabeleireiros. A marca foi batizada com o nome de TRESemmé, uma tradução poética da palavra francesa “très-aimé”, que significa “muito amado”. A grafia levemente diferente foi para fazer uma homenagem à especialista em cuidados capilares Edna Emmé.


A marca foi adquirida, pouco depois, em meados da década seguinte, pela empresa Alberto-Culver, tradicional fabricante de produtos para os cuidados do cabelo e da pele fundada em 1955. A intenção inicial dos novos proprietários da marca era continuar distribuindo os produtos apenas em salões de beleza, mas devido a enorme popularidade da linha TRESemmé e o crescente interesse das consumidoras, passaram a serem comercializados em drogarias e supermercados já nesta década. Com isso, a marca experimentou um enorme aumento nas vendas. Desse momento em diante, o grande trunfo da marca foi ter introduzido o conceito de “salonização” no varejo, oferecendo cuidados profissionais através de produtos de qualidade similar aos utilizados pelos profissionais em salões de beleza. Nos anos seguintes, além de se consolidar no mercado americano e canadense, a marca ganhou prestígio também na Europa, especialmente no segmento de tratamento de reparação dos cabelos pelos danos causados pelo calor do secador.


A marca passou a ser de propriedade da Unilever em setembro de 2010, quando a empresa anglo-holandesa comprou a Alberto-Culver por US$ 3.7 bilhões para alavancar seu negócio de cuidados pessoais. Além da TRESemmé, a aquisição adicionou ao portfólio da empresa marcas como V05 e Nexxus, e fez da Unilever a líder mundial em condicionadores, a segunda maior em xampus e a terceira em modelagem. Nos anos seguintes a linha foi consideravelmente ampliada com a criação de novos produtos de uso diário, com qualidade de salão, para o cuidado do cabelo. Além disso, a marca foi lançada em novos mercados mundiais. Como por exemplo, no Brasil, onde a TRESemmé desembarcou no final de 2011, para atender às principais necessidades das brasileiras em relação aos cuidados com os cabelos. A proposta da marca é levar soluções completas para que suas consumidoras conquistem resultados de salão todos os dias em casa. Para isso, marca oferece onze linhas – com mais de 60 itens –, entre xampus, condicionadores, finalizadores e cremes de tratamento e pentear.


Atualmente as mais importantes linhas da marca são: Reconstrução e Força (reduz a quebra em até 99%, desde o primeiro uso por conter uma exclusiva fórmula com Vitamina B6, Colágeno e Queratina), Hidratação Profunda (contém Vitamina E, Omega 9 e Queratina, hidratando profundamente as áreas danificadas e selando as cutículas), Liso e Sedoso (com combinação de Pró Vitamina B5, Lisina e Queratina, proporciona um liso perfeito, alinhando os fios e reduzindo o frizz), Proteção Térmica (protege o cabelo exposto ao calor excessivo. Ideal para quem faz escova e chapinha), Cachos Perfeitos (combina Pró Vitamina B5, Queratina e Elastina, proporcionando uma definição perfeita dos cachos, controlando os fios rebeldes e cuidando das áreas mais danificadas), Cor Radiante (fórmula que possui Vitamina E, chá verde e Queratina, garantindo a proteção da cor por até 40 lavagens) e Finalizadores (géis e mousses criados especialmente para que as mulheres fiquem cada vez mais satisfeitas com seus cabelos e tenham as ferramentas ideais para produzirem o visual que desejam em casa).


Atualmente, todas as fórmulas dos produtos TRESemmé apresentam silicones e sua função é de agente condicionante. Os agentes condicionantes se depositam sobre a fibra capilar protegendo-a reduzindo os danos acumulados e facilitam o penteado dos cabelos tanto secos quanto úmidos. Estes benefícios condicionadores ajudam, além de reduzir os danos, a melhorar a resistência ao desgaste sofrido pelo cabelo tais como, cabelo quebrado e a pontas duplas. Além disso, os produtos possuem vitaminas e queratina, conhecida como antioxidante, auxilia a saúde e a nutrição dos cabelos, além de prevenir o ressecamento. Já a queratina é um ingrediente conhecido por reconstruir e restaurar a estrutura da fibra danificada.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por algumas remodelações ao longo dos anos. Em sua última remodelação o logotipo da marca ganhou uma nova tipografia de letra e versatilidade na aplicação, já que pode ser com fundo preto (mais utilizado) ou no fundo branco.


Os slogans 
Professional. At your fingertips. 
Salon style hair at home everyday! 
TRESemmé – Used By Professionals. 
Professional, Affordable. (2004) 
TRESemmé. Resultado de salão todos os dias. (Brasil)


Dados corporativos 
● Origem: Estados Unidos 
● Lançamento: 1947 
● Criador: Edna L. Emmé 
● Sede mundial: Londres/Inglaterra e Roterdã/Holanda 
● Proprietário da marca: Unilever N.V. 
● Capital aberto: Não 
● CEO: Paul Polman 
● Faturamento: US$ 1 bilhão (estimado) 
● Lucro: Não divulgado 
● Presença global: 38 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Segmento: Higiene e beleza 
● Principais produtos: Xampus, condicionadores e cremes para tratamento 
● Concorrentes diretos: Pantene, Garnier, Elseve, Dove, Wella e John Frieda 
● Slogan: TRESemmé. Resultado de salão todos os dias. 
● Website: www.tresemme.com.br 

A marca no mundo 
Hoje em dia sua ampla gama de produtos é vendida em mais de 35 países ao redor do mundo, incluindo Estados Unidos, Reino Unido, Brasil, Espanha, Austrália, Indonésia, Tailândia, entre outros. TRESemmé é, hoje, uma das marcas que mais crescem no mundo no segmento de beleza. É a 2ª marca mais vendida em Hair Care (tratamento de cabelo) no Canadá e a 3ª nos Estados Unidos e Espanha. No segmento Styling, ocupa a 1ª posição, tanto no Canadá como nos Estados Unidos. No Brasil a marca possui cerca de 9% de participação de mercado em seu segmento. 

Você sabia? 
Em cada mercado onde está presente, a marca trabalha com embaixadores, geralmente renomeados cabeleireiros. Eles trabalham no desenvolvimento de produtos, nas campanhas publicitárias e nos workshops da marca. Na verdade, eles são responsáveis por criar e testar todo conteúdo que é desenvolvido e determinar qual é a melhor variante que será usada. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (BusinessWeek, Isto é Dinheiro, Exame e EmbalagemMarca), jornais (Meio Mensagem), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Mundo do Marketing) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 29/6/2015

23.6.15

JÄGERMEISTER


Mais de 50 ingredientes naturais combinados com perfeição artesanal. 383 verificações de controle de qualidade. Junte-se a isso uma garrafa verde icônica e uma boa dose de marketing baseada em uma lenda. O sabor de Jägermeister não é apenas uma questão de sorte, mas o resultado de décadas de experiência e uma receita super secreta. E por tudo isso se tornou a bebida de exportação mais famosa da Alemanha. Afinal, o segredo deste sucesso foi e continua sendo o caráter único de Jägermeister, que proporciona uma experiência inesquecível a cada copo. 

A história 
Para contar a história da bebida alcoólica mais famosa da Alemanha, é preciso voltar a 1878, ano em que Wilhelm Mast fundou um pequeno negócio para comercializar vinagre de vinho em sua cidade natal de Wolfenbüttel, localizada na região da Baixa Saxônia. A empresa cresceu, passou a comercializar vinhos finos e Curt Mast, filho do fundador, ingressou no negócio em 1918. E foi justamente sob sua orientação que a empresa tomou um novo rumo. Isto porque, quando jovem, demonstrava talento extraordinário na preparação e mistura de extratos de plantas medicinais. Após anos de experiências testando ingredientes e misturas para criar uma nova bebida, em 1934, Curt finalmente acertou a mão e conseguiu misturar de forma perfeita 56 especiarias como ervas, frutas e raízes, que deram origem a um licor único, inconfundível e com sabor distinto. Apesar da receita ser secreta, dentre os ingredientes se destacavam: raízes de gengibre (cujos óleos essenciais repletos de sabor estão por trás de grande parte do sabor picante da bebida final), paus de canela, anis estrelado, cardamomo verde, raízes de alcaçuz, cravos da índia, casca de laranja, açafrão e flores de camomila.


Curt então resolveu dedicar sua nova receita, com sua combinação de apenas ingredientes naturais e álcool puro, a todos os caçadores e suas tradições honrosas. Afinal, Curt era um caçador entusiasta. Mas ele sabia que além de ter criado um excepcional elixir, era preciso construir um marketing fantástico em volta de sua nova criação. Começando pelo nome Jägermeister (pronuncia-se Iéguermaister), que significa Caçador Mestre, em alemão. Isto porque, Curt resolveu homenagear Saint Hubertus (São Humberto), o santo padroeiro dos caçadores. Conta a lenda que Saint Hubertus era um dos melhores caçadores de sua época. Impiedoso e sistemático, movido pela ânsia de matar, eis que um dia ao ingressar na floresta, ele se deparou com uma figura mítica saindo da mata escura: um cervo branco com enormes chifres e uma cruz iluminada entre eles. Ao avistar o cervo sagrado, ele se converteu ao cristianismo e após sua morte se tornou Saint Hubertus “o caçador mestre”. Pronto, Curt resolveu adotar o tal cervo branco como símbolo e exibi-lo no rótulo de sua bebida.


E para proteger o sabor único de Jägermeister, ele escolheu uma garrafa especial que se tornaria tão famosa quanto à bebida que armazena. Deveria ser absolutamente confiável. Conta a história, que ele testou centenas de formatos diferentes, deixando-as cair de uma altura elevada sobre o piso de carvalho de sua cozinha – apenas uma permaneceu intacta. Uma garrafa verde bojuda (de 700 ml) surpreendente e incomparável, cuja confiabilidade resumia seu conteúdo: um símbolo do artesanato autêntico. Jägermeister foi lançado no mercado alemão oficialmente em 1935 como um licor digestivo (com 35% de graduação alcoólica), sendo também um bom remédio para tosse. Nas décadas seguintes, Jägermeister rapidamente se tornou extremamente popular entre os alemães, especialmente ao ser consumidor após as refeições. Mas também fez enorme sucesso, devido a sua versatilidade, com outra forma de consumo: o famoso shot (dose de 50 ml), extremamente gelado, despejado dentro de um copo de cerveja. Essa forma de consumo ganhou o apelido de JägerBomb.


Na década de 1960 o consumo de Jägermeister aumentou muito, especialmente após o produto ser exportado para vários países da Europa e Estados Unidos. Nos anos seguintes a marca investiu em campanhas publicitárias e iniciativas de marketing, como por exemplo, a criação de drinques onde Jägermeister era ingrediente principal, até o patrocínio de equipes automobilísticas, cujos carros laranja da marca se tornaram extremamente conhecidos nas pistas. Nos últimos anos, devido a sua versatilidade, Jägermeister passou a ser consumido por um público jovem em diversas baladas ao redor do mundo. E as formas de consumo também evoluíram. O tradicional Jägerbomb ganhou a versão com energético, ao invés de cerveja. E ainda tem mais. Há alguns anos a marca inventou a Tap Machine, uma maquina feita exclusivamente para servir a bebida bem gelada (geralmente -7ºc), como sugere que seja consumida.


Outro fator importante para a bebida se tornar uma das mais consumidas do mundo foi o alto investimento ligado a música, especialmente o patrocínio de shows e eventos, o que aumentou ainda mais sua penetração junto ao público jovem. Nos últimos a empresa iniciou o lançamento de outros produtos como extensão da marca, como por exemplo, drinques já misturados para consumo (em latas), como Jägermeister com gengibre e limão. Mais recentemente, em 2014, a marca laçou a edição limitada Jägermeister Spice, que combina a tradicional bebida com um delicioso blend de baunilha e canela.


O segredo do sabor 
Até hoje o processo de produção de Jägermeister é extremamente complexo. A receita secreta é composta por 56 ingredientes naturais diferentes. Cada um passa por diversas etapas de controle de qualidade. Somente os melhores ingredientes são aprovados pelos crivos afiados dos mestres destiladores. São esses ingredientes naturais e puros que garantem o sabor complexo e autêntico que torna Jägermeister tão famoso. Após selecionar as matérias-primas da mais alta qualidade, os mestres destiladores as pesam conforme especificado na receita original. Eles preparam então diversas misturas de ervas secas. Estas, por sua vez, são extraídas cuidadosamente pelo processo de maceração a frio que leva várias semanas.


Terminado este processo, um mestre destilador mistura com habilidade estes macerados e os transfere para barris de carvalho. São 445 barris de carvalho imponentes que descansam na Kräuterkellerei (adega de ervas). Cada um é talhado em madeira oriunda das florestas locais da Pfälzerwald. Nestes barris, a base de Jägermeister encontra tempo para respirar e envelhecer lentamente por quase um ano. Durante esse processo, os mestres destiladores degustam a bebida continuamente até que a complexidade necessária seja atingida. Mais de um ano irá se passar antes da jornada de uma garrafa ser completada e a mesma autorizada a deixar a empresa. Durante todo esse tempo, ela terá passado por 383 controles de qualidade, uma garantia para a continuidade da mais alta qualidade que a bebida alcançou no mundo.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por poucas modificações ao longo de sua história. Há alguns anos atrás o logotipo do rótulo da garrafa ganhou uma versão mais moderna e elaborada. Já o logotipo da marca passou a ser mais simplificado e na tradicional cor laranja, tão associada à Jägermeister.


Os slogans 
It runs deep. (2012) 
A Stronger Bond. (2012, Estados Unidos) 
Unleash the Beast. (2011) 
Real. Jägermeister. (2009) 
Give it a Shot. One for all. (1974) 
I drink Jägermeister because… (1973)


Dados corporativos 
● Origem: Alemanha 
● Lançamento: 1935 
● Criador: Curt Mast 
● Sede mundial: Wolfenbüttel, Alemanha 
● Proprietário da marca: Mast-Jägermeister SE 
● Capital aberto: Não 
● Chairman: Paolo Dell’Antonio 
● Diretor geral: Michael Volke 
● Faturamento: US$ 700 milhões (estimado) 
● Lucro: Não divulgado 
● Presença global: 90 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 800 
● Segmento: Bebidas Alcoólicas 
● Principais produtos: Licores 
● Concorrentes diretos: Kuemmerling, Unicum, Gammel Dansk, Sechsämtertropfen, Beerenburg e Cynar 
● Ícones: O cervo 
● Slogan: It runs deep. 
● Website: www.jager.com 

A marca no mundo 
Atualmente Jägermeister, nona marca de destilado mais consumida do planeta, está presente em mais de 90 países ao redor do mundo, com forte penetração na Alemanha, Estados Unidos, Reino Unido e muitas nações europeias. Com faturamento estimado em US$ 650 milhões, a marca vendeu mais de 88 milhões de garrafas em 2014. 

Você sabia? 
O rótulo da tradicional garrafa verde contém um poema de Otto von Riesenthal (1848), engenheiro florestal, caçador e ornitólogo. 
Existe a versão prime, batizada de Jägermeister v”ugenn, que além de conter mais de 87 especiarias, possui um teor alcoólico de 84%. 
Na antiga Alemanha Oriental, usava-se Jägermeister como anti-hemorrágico e combustível para lamparinas. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 23/6/2015

15.6.15

TOMS SHOES


De pé em pé, a marca americana TOMS SHOES faz a diferença. Comercializa muito mais que pares de calçados. Vende responsabilidade social. Isto porque para cada par vendido outro é doado para crianças carentes ao redor do mundo. Com este modelo simples de negócio, as pessoas não estão pagando apenas por um par de sapatos, sentem que realmente estão fazendo algo para mudar o mundo. E assim a TOMS SHOES se tornou um verdadeiro sucesso e exemplo de responsabilidade social em um mundo cada vez mais capitalista. 

A história 
A história da criação da empresa pode parecer um roteiro de filme. Tudo começou com o jovem empreendedor serial Blake Mycoskie (foto abaixo), um texano que antes dos 35 anos já havia criado quatro empresas diferentes, entre as quais uma lavanderia para jovens universitários e um canal de TV especializado em reality shows. Em janeiro de 2006 ele estava em uma viagem pela Argentina para aprender a jogar polo a cavalo, esporte no qual o país é um dos melhores do mundo. Blake ficou comovido ao perceber que muitas crianças carentes brincavam descalças nas ruas da periferia de Buenos Aires pelo simples fato da família não ter dinheiro sequer para comprar-lhes um par de calçado. E ficou ainda mais chocado quando descobriu que milhões de crianças no mundo contraem inúmeras doenças, como infecções, doenças de pele, chegando a amputações de membros e sim algumas delas morrem, devido ao simples fato de estarem descalças. Diante dessa situação ele precisava fazer alguma coisa.


De volta aos Estados Unidos, em março de 2006 ele criou um projeto inovador com uma visão de empreendedorismo social para ajudar a combater a realidade que presenciou. E transformou esse desafio em um modelo de negócio rentável. Alejo Nitti, o instrutor de polo que ele conheceu na Argentina foi um dos únicos a acreditar no projeto e virou o maior apoiador e parceiro. A nova empresa, criada dentro de um pequeno apartamento em Venice Beach, na Califórnia, foi batizada de TOMS SHOES, que na verdade foi derivado de “Shoes for a Better Tomorrow” (Sapatos para um Amanhã Melhor). O nome foi encurtado para caber na etiqueta que iria ser colocada na parte de trás dos calçados. O modelo de negócios (que ele chamou ONE FOR ONE, termo registrado pela empresa para descrever esse conceito) era relativamente simples: a cada calçado vendido, outro seria doado a alguma criança carente ao redor do mundo. Os calçados vendidos eram inspirados na tradicional alpargata argentina, usadas pelos jogadores de polo e inspiradas em modelos utilizados por agricultores e fazendeiros daquele país por centenas de anos. Eram feitos de lona ou tecido de algodão, com sola de borracha, e fabricados em diversos estilos e grande variedade de cores, estampas e tecidos.


Inicialmente foram vendidos 250 pares de sapatos, que ele trouxe da Argentina em quatro mochilas. Mas os planos tiveram de ser revistos. Badaladas lojas da cidade de Los Angeles, como Fred Segal e American Rag, adoraram o sapato e a proposta de doação e se interessaram em levar a marca para suas prateleiras. Isto aconteceu depois de uma matéria sobre a empresa feita pelo jornal Los Angeles Times. Foi então que a TOMS SHOES realmente decolou. A empresa recebeu pedidos de encomenda equivalente a nove vezes o estoque disponível, e 10.000 pares foram vendidos nos primeiros seis meses. A forma clara e direta de se relacionar com os consumidores rapidamente propiciou o surgimento de um verdadeiro grupo de fãs, que passaram a espalhar a ideia entre seus amigos e conhecidos. O primeiro lote de sapatos doados, dez mil pares, foi distribuído no mês de outubro de 2006 para crianças argentinas pessoalmente por Blake, funcionários e alguns amigos.


No ano seguinte, a empresa lançou “Um Dia Sem Sapatos” (One Day Without Shoes), evento no qual convoca pessoas, fãs e funcionários de várias empresas apoiadoras do projeto a não usarem sapatos durante todo o dia, a fim de aumentar a consciência para a missão que a empresa abraça. O apelo em torno da responsabilidade social da marca gerou uma propaganda espontânea fulminante. Custando em média US$ 50, as tradicionais alpargatas traziam um apelo social que ultrapassava propagandas e ganhou a participação da população e de grandes artistas como Scarlett Johansson e Keira Knightley. Em seus primeiros cinco anos, a TOMS SHOES distribuiu mais de 1 milhão de pares de calçados para crianças carentes mundo afora. Nos anos seguintes, os calçados que eram vendidos inicialmente online, começaram a serem distribuídos para grandes redes varejistas nos Estados Unidos. Além disso, a TOMS SHOES passou a comercializar suas famosas alpargatas em outros países, como por exemplo, Canadá e Reino Unido.


Em 2011, adotando o conceito One To One, a marca lançou no mercado uma linha de óculos, onde parte das vendas é doada para auxiliar no tratamento médico, cirurgias oculares e na compra de óculos de prescrição para pessoas carentes. Funciona assim: a cada óculos vendido, uma pessoa passa pelo oftalmologista, que vai dizer se ela vai precisar de lentes corretivas, tratamento médico ou encaminhamento para cirurgia. Atualmente, mais de 275.000 pessoas já foram beneficiadas com esse projeto em 13 países. Em 2012 a marca inaugurou sua primeira loja própria na cidade de Los Angeles. Outra novidade lançada pela marca foi uma pequena linha de roupa, composta por camisetas, moletons e até meias, além de vários outros modelos de calçados. Em agosto de 2014, a Bain Capital adquiriu 50% da TOMS SHOES, cujo dinheiro ajudará a empresa a crescer e se expandir globalmente. Em 2015 a marca laçou a TOMS BAG COLLECTION, uma coleção de bolsas na qual parte das vendas é revertida para ajudar a abordar a necessidade de avanços na saúde materna.


O enorme sucesso da TOMS SHOES pode ser descrito em uma cena. Certo dia, Blake foi embarcar em um aeroporto e ficou espantado ao ver uma garota utilizando um par de seus sapatos. Não se conteve e abordou a garota com uma pergunta: “Este sapato é bom?”. Automaticamente a menina começou a defender o produto como ele jamais imaginou, pois não sabia que estava falando com o fundador da TOMS SHOES. Ela contou a ele toda a história de como a empresa tinha surgido e principalmente o motivo pelo qual estava usando o sapato. Em momento algum no discurso foi defendido as características do sapato e tampouco como eram distribuídos e comprados. Foi assim que a TOMS SHOES ganhou inúmeros prêmios, colocou seus produtos em revistas descoladas e cresceu junto aos públicos mais engajados.


Sucesso com engajamento 
Ao ter uma crença objetiva e usar uma plataforma para engajar seus consumidores, a TOMS SHOES cria uma atmosfera de marca positiva não apenas para vendas, como também para a elevação do valor que partilha socialmente e da maneira pela qual é percebida por tais pessoas, aumentando o valor agregado e a credibilidade. A TOMS SHOES é também um extraordinário caso de sucesso de marketing. Embora investindo praticamente pouco em publicidade paga, a sua estratégia é genial: 
1. Doam um par de sapatos para cada par vendido. 
2. Periodicamente alugam um avião de carga para transportar os milhares de pares de sapatos doados e vão de encontro às crianças que necessitam de calçados novos, seja na África, América do Sul ou qualquer outra região necessitada. 
3. Fazem deste acontecimento um evento, o qual é filmado por uma equipe, sendo depois produzidos pequenos vídeos com os testemunhos de gratidão destas crianças. 
4. Produzem e distribuem conteúdos relevantes nas redes sociais, cujos emissores são os próprios colaboradores da TOMS, incluindo o fundador que se auto-intitula “Chief Shoe Giver”.


A evolução visual 
A identidade visual da marca, claramente inspirada na bandeira argentina, país no qual o fundador da empresa teve a ideia do negócio, passou por algumas alterações ao longo dos anos. O logotipo da marca, representada por uma bandeira com textura, ganhou uma nova versão, mais limpa e moderna.


O logotipo da marca também pode ser aplicado de forma chapada.


Dados corporativos 
● Origem: Estados Unidos 
● Fundação: 2006 
● Fundador: Blake Mycoskie e Alejo Nitti 
● Sede mundial: Playa Del Rey, Califórnia, Estados Unidos 
● Proprietário da marca: TOMS Shoes, LLC 
● Capital aberto: Não 
● CEO: Blake Mycoskie 
● Faturamento: Não divulgado 
● Lucro: Não divulgado 
● Lojas: 5 
● Presença global: 10 países 
● Presença no Brasil: Não 
● Funcionários: 300 
● Segmento: Moda casual 
● Principais produtos: Calçados, roupas, óculos e bolsas 
● Concorrentes diretos: Sanuk, Simple Shoes, Converse, Camper, Skechers e Perky Shoes 
● Ícones: A responsabilidade social 
● Slogan: One to One. 
● Website: www.toms.com 

A marca no mundo 
A TOMS SHOES, uma empresa social com fins lucrativos, vende seus produtos, especialmente calçados, em mais de 10 países ao redor do mundo, entre os quais Estados Unidos, Alemanha, França, Canadá, Holanda e Reino Unido. Os calçados são comercializados através do site da empresa e em mais de 1.000 grandes varejistas, como as lojas de departamento Neiman Marcus e Nordstrom, e a rede de supermercado Whole Foods Market, que vende modelos de sapatos feitos de materiais reciclados. A marca tem ainda cinco lojas próprias nas cidades de Los Angeles, Austin, Portland, Chicago e Nova York. Desde 2006 a TOMS SHOES já doou mais de 35 milhões de pares de sapatos para crianças em mais de 70 países, entre os quais Argentina, Camboja, Etiópia, Peru, Guatemala, Haiti, Ruanda e África do Sul. 

Você sabia? 
Blake Mycoskie acabou se tornando a personificação de seu negócio. Nos últimos anos, ele atua como principal garoto-propaganda da marca. Além disso, escreveu o livro Start Something That Matters (“Comece algo relevante”), onde conta a experiência que acumulou ao criar a TOMS SHOES e, sobretudo, extrai do empreendedorismo social ensinamentos para quem está disposto a criar um novo negócio em qualquer área. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Exame), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 15/6/2015