6.6.06

RIP CURL


A RIP CURL tem um passado que se confunde com a história do surfe. Focando nas necessidades de surfistas, a marca desenvolve produtos que aumentam o prazer e experiência de surfar. Vivendo para surfar. Surfando para viver. A melhor prancha de surfe. Uma roupa de borracha melhor. Roupas para o estilo de vida do surfe. Roupas para neve que nos mantêm quente e seco. Um relógio que mede a variação da maré. Isso é a australiana RIP CURL. Por isto, surfistas dos mais remotos lugares do planeta podem ser vistos usando produtos da marca. 

A história 
Tudo começou em abril de 1969 quando dois amigos australianos, Brian “Sing Ding” Singer e Douglas “Claw” Warbrick, que viviam na pacata cidade litorânea de Torquay, estado de Victoria, à apenas alguns quilômetros de distancia da famosa praia de Bells Beach, local de umas das mais desafiantes ondas da Austrália, decidiram surfar o máximo possível. Para ajudar a concretizarem seus sonhos começaram a fabricar pranchas de surfe, simplesmente para que os ganhos os ajudassem a manter o “vício” e pudessem praticar surfe nas melhores ondas do mundo. As pranchas da RIP CURL começaram bem em um mercado competitivo que estava descobrindo uma nova fase revolucionária em design. A produção começou com uma média de quatro pranchas semanais. Pouco depois, no mês de dezembro, os amigos tomaram outra decisão que mudou para sempre o destino de suas vidas: atender as necessidades essenciais dos surfistas nas águas frias do sul da Austrália, sempre um grande empecilho, que criava uma barreira para aqueles que desejavam aproveitar o potencial dos melhores picos do mundo, em qualquer época do ano. Foi então que os sócios fizeram um pequeno investimento em uma máquina de costura usada da Segunda Guerra Mundial e alugaram uma velha casa em Torquay como sede da nova empresa. Eles reuniram um grupo de moradores locais e iniciaram a produção de roupas de borracha (conhecidas como wetsuits) em uma garagem improvisada no ano seguinte.


Inicialmente a produção era precária: eles cortavam a borracha no chão e depois passavam as peças para um costureiro que trabalhava demais e era muito mal pago. Pelos padrões de hoje, a primeira roupa de borracha RIP CURL era primitiva (com costuras cruas e acabamentos falhos), mas eles diferenciaram-se no mercado, pois elas eram desenvolvidas através da interação com os surfistas. Ainda nesta época, a empresa colocou seu primeiro anúncio na revista Surfing World com o seguinte slogan “We know what we’re doing and we will be around for a long time” em tradução livre algo como “Nós sabemos o que estamos fazendo e estaremos por muito tempo”. Em 1970 os pedidos de roupas de borrachas chegavam a 100 peças por semana e a empresa não parava de crescer. Em 1972, a marca começou a inovar ao lançar as roupas de borracha com forro duplo de Neoprene. No ano de 1973 a marca iniciou o patrocínio a uma competição, que viria se tornar muito famosa entre o mundo do surfe, Rip Curl Pro, realizada na badalada praia de Bells Beach. Essa competição se tornou a mais poderosa ferramenta de marketing da marca RIP CURL.


Nos próximos anos a RIP CURL continuou inovando no segmento de wetsuits ao lançar zíper no ombro (1974) e reforços de Neoprene nos cotovelos e joelhos (1975). Essas novas roupas foram um verdadeiro sucesso entre os surfistas. Através da disseminação do nome da RIP CURL pelos surfistas que visitavam a Austrália em suas viagens pelo mundo, os dois fundadores começaram a explorar a possibilidade de vender wetsuits e pranchas internacionalmente. Com o crescimento da empresa no mercado australiano, em 1977, foi criada a divisão internacional da marca para atender outros países, dando início ao processo de globalização da RIP CURL. No ano seguinte foi instalada uma rede de distribuição no estado da Califórnia e, em 1979, a marca ingressou no mercado europeu pela França e Alemanha. No ano seguinte lançou uma linha de relógios especialmente para surfistas.


Foi no início da década de 1980, que a marca lançou a linha Rip Curl Surfwear, oferecendo aos surfistas roupas e acessórios confortáveis para vestirem quando saíssem da água. Pouco depois, com uma posição segura no mundo de surfe, a RIP CURL começou a fazer roupas para esquiadores, windsurfers, navegadores e snowborders, ampliando sua oferta de produtos e ingressando em outros segmentos de mercado. Cada divisão requereu uma tecnologia e uma estratégia de marketing completamente diferente. Ao invés de fabricar as wetsuits na Austrália para exportá-las – uma dispendiosa e difícil tarefa – a RIP CURL venderia sua tecnologia, design e ideias. O produto em si, seria feito sob licença, no país onde fosse necessário. Em 1981 estabeleceu sua primeira empresa licenciada em Lowers, no sul da Califórnia, batizada com o mesmo nome da praia, um dos mais famosos “beach breaks” dos Estados Unidos. A fórmula foi um sucesso e, em 1985, uma nova empresa chamada Frogs começou a produzir os produtos da marca em Hossegor, em um trecho da costa atlântica da França conhecido pelos seus famosos “beach breaks”. A marca mais uma vez inovou em 1994 ao lançar a roupa de borracha que continha RD4 Titanium Neoprene, material que mantinha o calor corporal em águas frias.


Nos anos seguintes, a conjunção entre tecnologia e conforto, resultou em roupas de borracha (wetsuits) inovadoras, consideradas por muitos as melhores do mundo. A linha de wetsuits evoluía a cada coleção e conquistava cada vez mais surfistas. Um exemplo disso é o wetsuit Flash Bomb, lançado em 2011 e que utilizava a exclusiva tecnologia Flash Lining, um forro interno que permite que o produto seque em até 15 minutos. Essa roupa de borracha é perfeita para quem faz mais de uma sessão de surfe por dia ou ainda quer mais proteção contra o frio e conforto extra dentro d’água. Em 2016, pelo quarto ano seguido, o modelo Flash Bomb recebeu o título de “Melhor Roupa de Borracha do Mundo” pela SIMA (Surf Industry Manufacturers Association). Acostumada a ditar tendências e ser referência mundial em inovação para o segmento, mais recentemente, em 2014, a marca revolucionou ao lançar o primeiro relógio com GPS para surfe do mundo. O equipamento permite ao surfista acompanhar a contagem de ondas, velocidade máxima, distâncias percorridas e tempo total de cada sessão no mar.


Um dos principais sucessos em cada lançamento da marca é que as pessoas que dirigem a empresa eram - e ainda são - os pilotos de teste dos seus próprios produtos. Um dos líderes de mercado de wetsutits para a prática do surfe por mais de 30 anos, a RIP CURL tem definido os padrões para o futuro. A empresa enfatizou sua posição como a marca número 1 patrocinando alguns dos melhores surfistas do mundo, mantendo seu envolvimento com as raízes do surfe, apoiando atletas de alma como Mick Fanning, Gabriel Medina, Matt Wilkinson, Owen Wright e Alana Blanchard. Por isso hoje, a frase The Ultimate Surfing Company não é só o slogan, mas uma declaração que transmite e reforça a visão da empresa. Afinal a RIP CURL é uma marca que se desenvolveu junto com o surfe e foi responsável por várias conquistas dessa modalidade esportiva, impulsionando as competições e a difusão de sua filosofia. Desde o início, a marca trabalha com tecnologia de ponta para atender às necessidades dos surfistas desde equipamentos básicos até os mais avançados.


O Rip Curl Pro 
Tudo começou no início da década de 1970 quando os dois fundadores da empresa se aproximaram da Associação Australiana de Surfriders, que organizava o evento anual de páscoa na praia de Bells Beach, se oferecendo para torná-lo o primeiro campeonato de surfe profissional da Austrália. Nesta época, enquanto as ligas de esporte como o tênis e o golfe haviam se profissionalizado nos anos de 1960, o surfe de competição ainda estava em um estágio embrionário, com apenas alguns amadores dedicados a sua administração, sem nenhum tipo de patrocínio. O primeiro RIP CURL PRO em 1973 foi realmente muito pequeno, com surfistas competindo pela premiação, a qual dava para cobrir um pouco mais do que a gasolina e a alimentação, e consideravelmente menos do que suas passagens aéreas. Mas o campeonato, vencido pelo lendário Michael Peterson, estabeleceu os trilhos para a locomotiva do surfe profissional. Portanto, o RIP CURL PRO se tornou o primeiro evento de surfe profissional da Austrália, com a melhor competição de “dinheiro para a cerveja” do país, o que era gasto rapidamente nos bares locais.


No ano seguinte, marcas como RIP CURL e Coca Cola patrocinaram o primeiro tour profissional da Austrália. Os campeonatos atraíram a maioria dos melhores surfistas do mundo e criaram um novo conceito para o esporte. Enquanto a criação do Bells Beach Easter Classic é um dos maiores capítulos na história do surfe australiano, o primeiro RIP CURL PRO é o verdadeiro início da história da conversão do surfe para o profissionalismo. Mais de 20.000 pessoas assistiram a memorável final de 1987 quando Nicky Wood, de 17 anos, mostrou capacidade e habilidades além de sua idade para se defender contra o estreante Richard Marsh. Em 1997 o RIP CURL PRO celebrou seu 25º aniversário e foi abençoado com o melhor surfe desde 1981 e o maior público em uma década. Coincidentemente, o governo do Estado de Victoria anunciou que o RIP CURL PRO “oficialmente” se classificaria como um dos 6 “Hallmark International Sporting Events” (Eventos Internacionais de Esportes de Marcas) ao lado da Fórmula 1 e GranPrix de motocicleta, a Copa de Melbourne, a Liga Nacional de Futebol Australiano e o campeonato Australiano Open de Tênis. Hoje em dia, o RIP CURL PRO BELLS BEACH é uma etapa da WSL (World Surf League), sendo realizado na praia de Bells Beach. O tradicional troféu do torneio é representado por um sino, tocado pelo campeão quando está com ele nas mãos.


A procura por novos talentos 
O Rip Curl GromSearch faz parte do programa internacional da marca para divulgar os valores mais nobres do esporte para surfistas com até 16 anos: o contato com a natureza, a diversão e a busca da onda perfeita com os amigos. O primeiro evento aconteceu na praia de Jan Juc no sul da Austrália em 1998 e vem tomando força a cada ano em vários outros países como os Estados Unidos, Brasil, África do Sul, Indonésia, além da Europa (com etapas na Inglaterra, França, Irlanda, Itália, Portugal e Espanha). O Rip Curl GromSearch está se tornando um evento tradicional entre a molecada da nova geração de surfistas. O compromisso do evento com a comunidade continua mantido desde o início: apoiar as associações locais, motivar as escolas de surfe e revelar novos talentos. O formato do evento é diferente dos demais campeonatos de surfe. Enquanto os tradicionais campeonatos visam premiar somente os melhores competidores o Rip Curl GromSearch deseja premiar todos os participantes oferecendo um dia com muito surfe, diversão e confraternização.


O Rip Curl GromSearch busca desde o seu primeiro evento criar uma atmosfera positiva que incentive a nova geração a encarar o surfe como estilo de vida independente de patrocínios e colocações em campeonatos. Desenvolver a preservação ambiental, o respeito pelo mar e pelas pessoas. Enfim contribuir na educação dos surfistas da nova geração espalhados pelo mundo. No Brasil, o Rip Curl GromSearch acontece desde 2000 e já reuniu mais de 2.700 surfistas por toda costa brasileira. Muitos surfistas da nova geração de profissionais começaram suas carreiras participando dos eventos, como por exemplo, Jihad Kohdr, Hizunomê Bettero, Saulo Júnior, Jean da Silva, Tiago Bianchini, Adriano Mineirinho, Heitor Pereira, Leandro Bastos, Andrew Serrano, e Bruna Schmitz, estreante na elite mundial em 2009 e dona de dois títulos no Rip Curl GromSearch. Todos os eventos são registrados em vídeo e distribuídos entre os participantes imortalizando as performances, as ondas e principalmente a história do evento. Desde 2004, o evento ganhou status de Circuito (antes eram feitas etapas isoladas). Hoje em dia a série Rip Curl GromSearch ocorre anualmente em 10 países diferentes com a participação de mais de 5 mil surfistas.


A filosofia 
A RIP CURL é uma marca criada a partir da filosofia do THE SEARCH, que surgiu em 1992. O primeiro anúncio apresentando a nova filosofia da empresa foi publicado em fevereiro e março na revista Tracks. Os fundadores tinham aprendido o valor de uma boa comunicação alguns anos atrás, enquanto exibiam filmes de surfe em diversos locais da costa australiana. Logo depois, através de uma parceria com o renomado cinegrafista Sonny Miller, foi produzido o primeiro filme. O filme “The Search” era uma jornada pelo Oceano Índico e foi lançado através de lojas de surfe em todo mundo, que junto com outros diversos filmes dele, tornaram-se uma série que continua encantando até os dias atuais.


Hoje em dia, o The Search é a força que dá direção ao progresso, é a visão da empresa. Os produtos fabricados, os eventos realizados e os atletas patrocinados, fazem parte do “The Search” que a RIP CURL empreende. Quando a equipe está atrás de reefs desconhecidos, lugares não descobertos ou ondas jamais surfadas, tudo o que a RIP CURL quer é suprir as necessidades dos surfistas com o melhor equipamento. Não importa para onde as viagens levem, a RIP CURL está sempre com os surfistas, quer seja amadores ou profissionais. Isto significa: ser um dos líderes de mercado em wetsutits para o surfe por mais de 30 anos; desenvolver tecnologias, como por exemplo, a Elastomax 4 (um neoprene 30% mais flexível, 20% mais leve e 10% mais quente), a SlickSkin (tecido de alta elasticidade, não inibindo a flexibilidade) e a H-Bomb (primeira roupa de borracha do mundo com aquecimento elétrico), que tem definido os padrões para as wetsuits do futuro; fabricar pranchas de surfe, especialmente sob medida, de forma artesanal, para que cada uma se ajuste ao surfista aonde quer que ele vá buscar uma onda; utilizar tecnologia de ponta nos relógios, que permite ao surfista saber o que está acontecendo com a maré e quando; e desenvolver roupas de montanha para oferecer ao snowboarder o máximo de liberdade, enquanto o mantém aquecido, confortável e com estilo na neve.


A origem do nome 
A origem do nome RIP CURL é bastante curiosa. Em 1969, os dois fundadores da empresa, Brian Singer e Doug Warbrick, estavam em uma velha garagem discutindo qual seria o melhor nome para a nova empresa. Um deles propôs RIP CURL e disse “Eu reconheço que é um nome estúpido, mas eu vou perguntar aos meus filhos e ver o que eles acham”. De repente, o outro homem começa a pular e gritar feito um doido: “É um ótimo nome! Você rasga a onda! (da expressão em inglês “Rip the Curl”) Entendeu? Todo mundo vai adorar isto!”.


A evolução visual 
O logotipo da marca sofreu muitas alterações durante a sua história. O logotipo original da marca era redondo e continha a palavra “wetsuits” (1). O tradicional logotipo completamente colorido (2), conhecido como “rainbow”, surgiu na década de 1970, e ganhou um novo design (3) na década seguinte. Nos anos de 1990 surgiu o tradicional logotipo que continha o símbolo de uma onda estilizada (4). Este logotipo sofreria remodelações nos anos seguintes. Depois de passar por mais duas alterações, incluindo a mudança de cores (8 e 9), em 2005 a marca apresentou seu logotipo atual (10). Apesar de todos esses logotipos, a RIP CURL nunca deixou de lado os valores e filosofia que a transformaram em uma marca com a alma do surfe.


Os slogans 
Rip Curl, The Ultimate Surfing Company. 
Live the search. 
A Product of The Search. 
Born at Bells 1969.


Dados corporativos 
● Origem: Austrália 
● Fundação: 1969 
● Fundador: Doug Warbrick e Brian Singer 
● Sede mundial: Torquay, Victoria, Austrália 
● Proprietário da marca: Rip Curl International Pty. Ltd. 
● Capital aberto: Não 
● CEO: Michael Daly 
● Faturamento: US$ 500 milhões (estimado) 
● Lucro: Não divulgado 
● Lojas: 332 
● Presença global: + 80 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 2.600 
● Segmento: Marcas esportivas 
● Principais produtos: Pranchas, wetsuits, roupas de surfe e acessórios esportivos 
● Principais concorrentes: Billabong, Quiksilver, O’Neill, Hurley, Rusty e Reef 
● Ícones: Os wetsuits 
● Slogan: Rip Curl, The Ultimate Surfing Company. 
● Website: www.ripcurl.com.br 

A marca no mundo 
Desde sua fundação, a RIP CURL cresceu humildemente para ser uma verdadeira empresa de surfe internacional como nenhuma outra. A marca apresenta produtos inovadores, funcionais, duráveis e projetados de surfistas para surfistas, disponível em mais de 80 países ao redor do mundo. Em adição às milhares de lojas independentes que vendem seus produtos, a RIP CURL possui mais de 330 lojas próprias ou licenciadas na Austrália, Nova Zelândia, Europa, Estados Unidos, Canadá, Brasil (ao todo são mais de mil pontos de venda), Inglaterra e Israel. Ao lado de pranchas de surfe e roupas de borracha, os produtos RIP CURL se expandiram para incluir surfwear (roupas casuais para os homens e mulheres), acessórios (relógios, malas de viagem, óculos de sol, mochilas e carteiras) e mountainwear (roupas e acessórios para snowboard e esqui). 

Você sabia? 
Alan Green, um dos primeiros funcionários da RIP CURL, depois de trabalhar poucos meses na empresa, foi um dos fundadores da Quiksilver, ainda em 1969. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Exame), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 14/8/2017

2 comentários:

lucasfiuza7 disse...

Rip the Curl ou Rip Curl é a verdadeira alma e matéria do surf internacional.

glaudys disse...

rip, quik e billa é o que há.


RIP the curl