23.8.06

PANINI


Colecionar álbuns de figurinhas, especialmente de futebol, se tornou um fenômeno cultural juvenil durante décadas e gerações muito em virtude da editora italiana PANINI. Afinal, quem durante a infância não colecionou ou jogou o tradicional “bafo” com as divertidas figurinhas produzidas pela empresa italiana? Por isso, hoje em dia, a PANINI é moderna e inovadora, com foco no entretenimento, diversão e educação, constantemente sintonizada com as tendências editoriais internacionais e que busca ser a referência de qualidade nos segmentos de colecionáveis e publicações para o público jovem.

A história
Tudo começou em 1945 quando os irmãos Panini, Benito e Giuseppe, abriram uma pequena banca de jornal em Corso Duomo, próximo a catedral na cidade italiana de Modena, e, quase uma década depois, em 1954, fundaram a PANINI BROTHERS, uma empresa de distribuição de jornais. A empresa que conhecemos hoje só surgiu efetivamente em 1961 quando os irmãos resolveram expandir seus negócios após experiência bem sucedida com figurinhas. O logotipo da PANINI possuía um cavaleiro porque Giuseppe, que adorava desvendar enigmas e passatempos, inventou suas próprias palavras cruzadas com o pseudônimo de “Il Paladino” (O Cruzador). O primeiro produto da nova empresa foi uma coleção de figurinhas do Campeonato Italiano de futebol. Originalmente as figurinhas eram feitas em papel e os colecionadores tinham que fixá-los no álbum usando cola. O envelope custava 10 liras (aproximadamente 5 centavos de dólar) e continha apenas duas figurinhas. A primeira figurinha a ser impressa foi de Bruno Bolchi, zagueiro e capitão da Internationale de Milão. O jogador na capa do álbum da primeira coleção do Campeonato Italiano era o sueco Nils Liedholm, que naquela época jogava pelo Milan.


A primeira coleção vendeu 3 milhões de envelopes, subindo para 15 milhões no ano seguinte e para 29 milhões no terceiro ano. Os outros dois irmãos, Umberto e Franco, juntaram-se ao negócio em 1963. A primeira coleção não relacionada ao tema futebol foi introduzida em 1965 e tratava de “Aviões e Mísseis”, seguida pela coleção “Animais do Mundo”. O primeiro álbum de uma Copa do Mundo de Futebol foi lançado em 1970, para a competição realizada no México. Foi também a primeira vez que uma coleção de figurinhas foi vendida internacionalmente pela PANINI. Pouco depois, em 1971, a empresa introduziu no mercado uma grande novidade: as figurinhas do Campeonato Italiano autocolantes, dispensando assim a utilização de cola.


Nas duas décadas seguintes a PANINI lançou inúmeros produtos novos, com base no licenciamento de personagens da área de entretenimento (como por exemplo, o bruxinho Harry Potter) e atividades esportivas, e se expandiu fortemente no mercado internacional. A empresa iniciou suas atividades no Brasil em 1989 com o lançamento de livros ilustrados e de seu principal produto: álbuns de figurinhas (especialmente do campeonato brasileiro e das principais ligas europeias de futebol). Em 1992, após anos de instabilidade financeira, a PANINI foi comprada por Bain Galo Cuneo e De Agostini. Foram necessários somente dois anos de boa administração para retornar aos anos de glória. Em 8 de outubro de 1999, a empresa foi comprada novamente, desta vez pelo grupo italiano Fineldo Spa de Vitório Merloni.


Em 2000 o Grupo PANINI concluiu, na Itália, um acordo para aquisição do controle acionário da empresa “DigitalSoccer Project”, que desenvolvia softwares revolucionários no setor esportivo. Com isso, a empresa começou a apostar em produtos eletrônicos e digitais como forma de diversificar seu portfólio. No ano seguinte, iniciou a criação de histórias em quadrinhos, de comics (formato americano) e mangás, entre outros gêneros, com o lançamento da coleção PANINI COMICS, que atualmente possui os direitos de distribuição das séries da editora americana Marvel Comics. Recentemente se tornou responsável pela publicação dos quadrinhos da Turma da Mônica e da Virgin Comics na Europa (exceto Reino Unido e Irlanda) e América Latina, englobando, além das revistas em quadrinhos, encadernados e graphic novels. Também conquistou recentemente o direito de ser responsável pela produção de cards (figurinhas feitas em papel cartão) da NBA (liga de basquete profissional americano). Em 2012 foi responsável pelos direitos do álbum oficial dos Jogos Olímpicos de Londres.


A tradicional PANINI ficou conhecida por introduzir novos conceitos no mundo das publicações, tendo atuado como uma das pioneiras na tradução e adaptação de centenas de mangás em quase todo o território europeu e brasileiro na última década. Atualmente a empresa possui quatro divisões principais: figurinhas e cards (a mais importante do Grupo); histórias em quadrinhos (edita, traduz e publica mais de 4.000 títulos de revistas e livros), New Media (também conhecida como PANINI INTERACTIVE, responsável por serviços e produtos digitais); e uma divisão de distribuição de revistas em quadrinhos (chamada PAN DISTRIBUIZONE, que além da distribuição, faz o trabalho de logística e análise de mercado dos novos produtos).


Dados corporativos
● Origem: Itália
● Fundação: Giuseppe e Benito Panini
● Fundador: 1961
● Sede mundial: Modena, Itália
● Proprietário da marca: Panini S.p.A.
● Capital aberto: Não
● Chairman: Ugo Panini
● CEO: Nicola Aliperti
● Faturamento: €621 milhões (2011)
● Lucro: Não divulgado
● Presença global: + 110 países
● Presença no Brasil: Sim
● Funcionários: 850
● Segmento: Editorial
● Principais produtos: Revistas em quadrinho, álbuns e figurinhas
● Concorrentes diretos: Topps, Upper Decker e Editora Abril (Brasil)
● Ícones: Os álbuns de figurinhas de futebol
● Slogan: Stick with Panini.
● Website: www.paninigroup.com

A marca no mundo
O Grupo PANINI, com filiais nos principais países europeus, Estados Unidos, Chile e Brasil, é líder mundial no setor de cromos autoadesivos (figurinhas), 3° maior editor europeu no segmento jovem e líder italiano na distribuição de histórias em quadrinhos, além de desenvolver um programa sólido no segmento de multimídia. A empresa distribui seus produtos em mais de 110 países ao redor do mundo. No Brasil, a empresa atinge através de seus diversos produtos mais de 2 milhões de leitores diretos todos os meses, estando presente em mais de 30.000 bancas de jornal, 1.000 supermercados e grande número de livrarias e lojas. Em média a PANINI produz mais de 1.2 bilhões de envelopes de figurinhas por ano, que são comercializados em 3 milhões de pontos de venda em todo o mundo. A empresa é responsável pela publicação dos personagens da Marvel e da DC Comics.

Você sabia?
Os irmãos Panini não inventaram as figurinhas, mas tiveram a ideia genial de vendê-las em pacotes fechados para criar um efeito de surpresa. O colecionador abreia o maço e descobria com emoção o item que faltava em seu álbum.
A PANINI tem capacidade para distribuir seus produtos na Europa em mais de 500 mil pontos de venda num prazo de até 72 horas.
Desde sua fundação a empresa já imprimiu mais de 25 bilhões de álbuns de campeonatos de futebol.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Última atualização em 21/8/2012


Nenhum comentário: